quarta-feira

Ainda respiro



Isto anda um bocadito pró parado – no fundo como o dono do tasco. Mas não se preocupem que tenho corrido, não o que gostaria nem a forma como gostaria, mas melhor que nada. Ainda não estou a 100%, ainda sinto ali qualquer coisita de anormal nos isquiotibiais, mas estou muito melhor. Vou continuar com o trabalho de casa que consiste em exercícios de alongamentos e a correr distâncias mais curtas e a ritmos comedidos.
Além do aspecto físico, também tenho tido muito trabalho, nesta última semana a preparar os últimos pormenores para a 2ª edição do Trail Marco dos 4 Concelhos que é já este domingo (temos quase 300 inscritos o que significa que chegamos novamente ao limite que estabelecemos), sem esquecer os Trilhos dos Pernetas que estão ao rubro … no meio disto ainda há família e amigos. Há dias, que deviam ter mais umas horitas mas a gente desenrasca-se. É uma questão de prioridades e pronto, este meu “menino” fica para trás assim como o acompanhamento dos “tasquinhos” dos meus amigos dos blogues de corrida – vou acompanhando como posso. É uma fase … mais dois mesitos e regressa a normalidade.
Em relação às corridas na semana passada fiz 4 treinos – no total 35km. É pouco mas é o que se arranja. E voltei às provas no domingo, depois de me ter andado a atirar para o chão no fim de Janeiro em Viana – fui ao GP de César, um prova clássica aqui da zona na distância de 8,6km feitos em 3 voltas bem duras, com descidas e subidas acentuadas.
Cá estão eles ... ainda faltam alguns que como sempre chegam tarde

depois de um bom aquecimento de 10 minutos, prontos e motivados 

A ideia inicial era fazer uma corrida descontraída, na galhofa. E até começou dessa forma. Logo no inicio quando entrei para a zona da partida estava bem na frente, mas ao contrário de todo o mundo comecei a andar em sentido contrário à maré e fui colocar-me bem lá atrás J

Gajos da elite é assim ... só me enganei na fita, esta é que fecha a caixa de partida ;)

a organização a querer desclassificar-me ainda antes de começar.. 

Na primeira volta fui quase sempre na descontra, e senti-me bem, de tal forma que na primeira subida para a meta … ca. 1 km quase sempre a subir … acelerei um pouco … a média acima dos 5min/km. Na segunda volta dei-lhe gás, verdadeiramente gás … tendo acabado com uma média abaixo dos 4min/km mas houve um problema – comecei a sentir a coxa direita a picar e antes que o atirar-me para o chão se torne um hábito, lá reduzi novamente na última volta, tendo fechado os 8,6km com ca.36min (média de 4,15min/km). Para ser sincero dava para um bocadinho mais, mas não muito. Estou pesadote.

ri-te ri-te...

este gajos da elite são assim ;)

Esta semana estou na CZ … ontem voltei a correr, 7km apenas. Levantei-me cedo e dirigi-me a uma floresta na periferia de Brno que já conheço. Quando lá cheguei … desilusão … trilhos com gelo. Bastaram duas ou três tentativas para desistir da ideia e lá fui eu correr por uns bairros habitacionais. Foi o que se arranjou.








Hoje à noite vou jogar à bola a convite dos meus clientes – nem sapatilhas de futsal tenho, lá vai ter que ser com as sapatilhas de corrida Jvai ser um riso e um valente empeno, pq já o ano passado fiquei 4 dias num estado em como tivesse sido atropelado por um camião. Um gajo só corre e quando faz algo diferente fica assim. Mas não há-de ser nada. que não se cure ...

Corrida? Não vai faltar, em trilhos na 6ª e no sábado a marcar os trilhos para o Marco dos 4 Concelhos de domingo onde além de organizador tb sou corredor J

terça-feira

Trilhos dos Pernetas 2017


A organização dos Trilhos dos Pernetas continua de vento em popa. O trabalho por trás de uma organização destas é mesmo muito, especialmente quando organizamos pela primeira vez porque quase tudo é um mundo novo. 

Apenas a título de exemplo temos de ir à procura de apoios numa conjuntura de mercado complicado como é o panorama actual - conseguem imaginar quanto difícil se torna convencer as empresas a ajudar-nos, ainda por cima sendo a primeira edição. Felizmente temos conseguido bastante apoio - muitas das empresas privadas que já nos confirmaram patrocínios são de amigos nossos, a grande maioria nada tem a ver com corrida, o que nos deixa ainda mais satisfeitos pois acreditam que o nosso projecto vai ser um sucesso. 



Para isso muito tem contribuído a forma como estamos a promover o evento, apostando forte na parvoíce aguda, um dos nossos pontos fortes e inato. E tem surtido efeito, pois todos os dias aumentam os seguidores, as pessoas a visualizar os nossos post ou vídeos, o feedback que recebemos na rua quando participamos nos diversos treinos de grupos da zona ou vamos a provas. Ainda é cedo, mas penso que foi o caminho certo, ainda por cima não é algo que seja contra a nossa natureza, a malta diverte-se à brava com isto.

Aqui alguns exemplos das publicações mais vistas e partilhadas da nossa página ...

"O curandeiro Bininho"
video

video


"Sorteio de uma Inscrição para o UTM - parte 1"
video


"Sorteio de uma inscrição para o UTM - parte 2"


Depois é lógico que confiamos nos nossos Trilhos ... não temos uma Serra da Estrela ou um Parque Natural do Gerês, mas temos uma diversidade enorme de paisagens, trilhos, rio, subidas ingremes, partes mais técnicas e as famosas Sandes de Presunto com Ovo. Há para todos os gostos, para quem quiser verdadeiramente competir ou para quem quiser vir mais numa de passeio e conviver.

As inscrições estão a correr a bom ritmo. Se estiverem interessados em participar não deixem para a última da hora a vossa inscrição, podem fazê-lo em Regulamento&Inscrições .

Vá, seja para competir seja para apenas desfrutar apareçam que vão gostar ...

segunda-feira

Muito melhor!!!!


Só para dizer que voltei a experimentar correr (e caminhar).Voltei ao nosso Quintal com os Pernetas, e mesmo tendo uma vontade enorme de fazer o percurso todo de 30km, tive juízo e fiquei-me por 16km - eram para ser só 12, mas como nos perdemos acabou por ser um bocadinho mais - e com quase 1000m de positivo. Soube-me pela vida ... a companhia, os trilhos que estavam espectaculares e acima de tudo poder correr sem sentir dores nos isquiotibiais o que é fantástico. Acho que não acontecia desde fins de Dezembro.

Não quero cantar vitória, mas sinto um progresso enorme nestes últimos dias... os alongamentos em casa tem feito milagres - obrigado Rui :) ...

Vou continuar com tratamentos, com os alongamentos e a resguardar-me durante mais algum tempo. Espero não perder muito a base que preciso para daqui a algum tempo começar a treinar a sério.

E hoje sinto dores nos músculos, mas daquelas "boas", daquelas que são fruto do treino  .. sabe tão bem :):):)

Vocês arranquem que eu vou ter à D.Alice

Enquanto espero vou fazendo alguma coisa ... tomar o pequeno-almoço por exemplo 

"pronto ... já passou"  

É isto ... não é preciso dizer nada, pois não? 

"Queres falar sobre esses lábios pintados Perneta??" ... isso fica para o próximo post 

sexta-feira

Não tá fácil


No sábado passado lá regressei às corridas. Fui com o Zé Alexandre para o nosso quintal fazer um bocadinho mais que 23km.

Eu sei, eu sei ... depois de uma paragem fazer 23km é um bocadinho estúpido. Mas tinha que ser mesmo - assumimos um compromisso com a Camara Municipal da Feira para organizar a etapa de Canedo do Circuito de Trail de Santa Maria da Feira e já está praticamente na hora - a segunda edição do Trail do Marco dos 4 Concelhos é já no próximo dia 26/2 e o percurso mais longo de 22km não estava definido - foi isso que fomos fazer e correu bem nesse aspecto - temos percurso!!!





Quanto a mim não correu como esperava ... depois de um inicio bonzinho, começaram a aparecer os problemas nos músculos posteriores das coxas (ambas) e andei-me a arrastar literalmente, tendo caminhado nos últimos 4 ou 5 km.

Descansei domingo e 2ª e na 3ª feira à hora de almoço regressei aos tratamentos com o Rui - pelos vistos estou com um "encurtamento" e a receita são alongamentos, feitos em casa. Foi um riso ... eu que já de mim tenho a flexibilidade de um garfo, ainda por cima "encurtado", a fazer umas figuras estranhas ... acho que um velhote de 150 anos teria feito melhor figura que eu. E o Rui mandou-me correr ... nada de parar.

E eu como sou bem mandado fui ao treino do Running Espinho à noite - embora não pareça ainda tenho algum juízo e enfiei-me no grupo dos 5,30min/km. Não correu nada bem ... andei a arrastar-me a partir do km 2-3 e acabei por abortar o treino perto do final, tendo feito mesmo assim 10km. Alonguei e fui para casa.


Ontem dediquei-me aos ditos alongamentos em casa e notei já melhorias ... já não parecia um velhote de 150 anos, mas apenas um de 100 ... não é perfeito, mas é uma melhoria. Já me estico melhor ... hehehehe.

Não devo correr mais até domingo por falta de tempo - não sei se já disse, mas isto de organizar eventos ainda dá um bocadito de trabalho. Se eu quisesse mesmo, arranjava aí uma horita nem que fosse à meia-noite para dar umas passadas, mas prefiro descansar mais uns dias para no domingo estar pronto para voltar ao nosso quintal com os Pernetas.

Vamos ver como corre ... estou mentalizado para um mês de Fevereiro a paninhos quentes, para ver se me ponho fino para a partir de Março poder voltar a treinar forte.

E comecei uma espécie de dieta ... fiz análises de rotina (prova de esforço incluída) e está tudo nos conformes. O colesterol embora abaixo do valor referência é que está um bocadinho alto pelo que quero baixa-lo - e assim tb já compenso um pouco a falta de treino, é que sem correr e a comer como eu como não demoro muito a voltar aos 100kg ... não quer dizer que não lhe dê umas facadinhas ... hoje à noite marchou uma destas no Restaurante 360 ... no forno são uma delicia ... lol

domingo

Janeiro 2017 - fraquinho, fraquinho ...


Janeiro foi fraquinho, muito fraquinho a todos os niveis. No total apenas 134km, a maior parte sofridos, problemas físicos, recuperações lentas ... enfim.

Mesmo assim houve algo de positivo ... no meio desta tristeza de mês, bati o meu recorde pessoal dos 10km em Espinho, foi apenas por um segundo colocando o alvo a abater agora nos 37,42min. Valeu por isso.


Em relação à lesão, tive luz verde para voltar a correr ... foi ontem que voltei ao meu quintal para experimentar a coisa ... da contractura nem sinal, mas não estou bem. Nos próximos dias volto a este assunto.

Estas coisa de andar a organizar eventos não deixa muito tempo para ir mantendo aqui o cantinho actualizado. Vou fazendo os possíveis.

terça-feira

Ressaca


Já passa de uma semana desde que calcei a última vez as sapatilhas para correr, mais precisamente 9 dias desde o episódio de Viana.
Nos primeiros dias as dores e o facto de sentir a perna a prender fizeram com que não tivesse grande vontade em correr. Mas a partir do momento em que comecei a caminhar normalmente (3º ou 4º dia) a vontade voltou.
Tenho estado sempre fora do país, estive na Suiça e na Alemanha e o tempo embora frio tem estado seco e aberto. Tive inclusivamente algum tempo que poderia muito bem ter sido gasto com umas belas horas a correr à descoberta de novas zonas como tanto gosto. Não deu, paciência, haverá outras oportunidades.
Mas estou a ressacar … dou comigo constantemente a ensaiar pequenos passos de corrida para ver se ainda sinto alguma coisa. Passinhos tímidos – quem me vir deve achar que estou maluco como a senhora da limpeza do Hotel onde estou hoje, que me viu a dar uma corridinha de 10m no corredor do Hotel e a festejar o facto de não ter sentido nada de anormal. Está melhor de dia para dia, mas está-me a custar bastante esta paragem.
Só no domingo passado é que estive em Portugal e fui ver os amigos Pernetas a partir para um treino de reconhecimento dos Trilhos dos Pernetas. Custou-me muito vê-los partir mas se tudo continuar assim, espero no próximo fim-de-semana voltar ao nosso quintal.
Ahhh … e sinto-me “gordo” e “pesado” … ao contrário da corrida tenho lhe dado demasiado bem na comida e bebida e já noto … descansem que não coloco aqui fotos das comezainas, não é por vocês, é mesmo por mim, já basta o peso na consciência e não só J

quinta-feira

Obrigado!!!



Já que não fico conhecido pelo que corro pelo menos fico conhecido por andar a rebolar no chão a 300m da meta da MM de Viana no domingo passado. A estratégia funcionou mas não pensem que foi fácil.
Tive que ver onde estavam os fotógrafos, analisar o angulo perfeito e claro o sítio onde me iria mandar ao chão … o mais fofo e limpo possível J … ainda me tive de chatear com algumas pessoas da assistência que teimavam em colocar-se à frente da camara para ficar na fotografia. Só ao 3º esbardalhanço é que a coisa ficou perfeita, mas valeu porque fiquei com uma bela sequência de 35 fotos do acontecimento. As redes socias fizeram os resto. Da próxima vou escolher uma prova mais curta, que fazer quase 21km no red line antes de me esbardalhar ainda custa um bocadito J
Agora mais a sério … quando na 2ª feira comecei a receber chamadas e mensagens de amigos preocupados com o meu estado de saúde só me ria, porque não foi nada de especial, apenas uma contractura forte que me obriga a uma paragem que espero seja curta.
Quando ao fim do dia chego ao Hotel e vou espreitar o FB é que vi o porquê de tanto “histerismo” … a cena tinha sido “apanhada” por um fotógrafo que estava no local e havia efectivamente fotos que transmitiam um dramatismo a uma situação que não foi assim tão grave. Confesso que até a mim, que vivi aquilo na primeira pessoa, a foto ali em cima chocou-me um pouco.




A primeira foto deste post capta com bastante realismo duas situações – uma, de um normal atleta de pelotão que acaba por ir ao tapete tão perto de cumprir um objectivo … sente-se a dor física mas também a desilusão por “falhar” algo que estava tão perto.
A segunda, e na qual nos devemos focar, um acto de desportivismo extremo de outro atleta de pelotão que esquece tudo o que diz respeito à prova dele para ir ajudar um desconhecido que tinha ido ao chão. Relembro que esta situação se passa a 300m da meta, quando o normal é vir nas lonas, só vemos a meta e um possível objectivo de tempo – por isso tem ainda mais valor a atitude daquele atleta e de outros dois que também vieram ter comigo durante aqueles breves minutos em que estive no chão. Enormes atitudes que me emocionam e que agradeço muito. Grandes exemplos e uma lição para mim – não sei como reagiria numa situação destas, sinceramente.






Coincidência é que o atleta que se vê na foto de "capa" ser primo do meu compinha Perneta Zé Alexandre. Chama-se Zé Rodrigo e corre pelo Rio Largo de Espinho. Eu não o conhecia, nem a ele nem aos outros dois que me ajudaram J … entretanto somos amigos do FB e com certeza terei oportunidade de lhe agradecer o gesto pessoalmente um dia destes. Quanto aos outros dois não consegui ainda identifica-los. O amigo que aparece com o dorsal 1805 (o que me levantou) não aparece na classificação e o outro (não consigo identificar o nr. do dorsal).
Isto leva-me para aquelas velhas discussões parvas que se vê nas redes sociais entre a malta do trail e a malta da estrada. Um dos “argumentos” da malta que defende a corrida por trilhos, é que existe um tal de “espirito do trail” e que na estrada são todos uns egoístas de primeira categoria. Esta situação dá razão ao que digo desde sempre – o tal espirito são as pessoas e a forma como encaram o desporto, independentemente do que se pratica. Aqui estão 3 belos exemplos do tal “espirito”, de grande desportivismo, desta vez numa prova de estrada.
Atenção que não defendo nem uns nem outros. Eu gosto tanto de correr em trilhos como na estrada. Eu quero é correr! Deixem-se de merdas, respeitem-se e quando for preciso optar, sigam este exemplo e decidam por ajudar um companheiro de luta em dificuldades. Provas há muitas.
Quanto a mim, agora que passaram uns dias já consigo caminhar mais normalmente. Ainda me prende os movimentos mas pelo menos não tenho dores. Se for o que eu penso, mais uma semanita de descanso e poderei voltar aos relvados. Espero que assim seja porque já estou a ressacar J